sábado, 13 de fevereiro de 2010

O FIM DA MAGIA

Em Setembro, pouco antes das eleições, escrevi aqui um "post" inofensivo como os outros, com este título e a fotografia de José Sócrates a fingir controlar o derrube de um torre em Tróia.

Juntei-lhe um excerto do "Índio", de Caetano Veloso, que decorei desde a primeira audição:

E aquilo que nesse momento/ Se revelará aos povos / Surpreenderá a todos / não por ser exótico / Mas pelo facto de poder ter sempre estado oculto /Quando terá sido / o Óbvio

Uns tontos do 24 horas, que na altura publicaram as maiores falsidades de que tenho memória, escreveram no jornal deles, sem me perguntar nada, que se tratava do meu comentário à suspensão do Jornal Nacional de Sexta. Não era. Como não tenho vocação de professor primário deixei passar.

Acredito que agora até eles percebam a encenação, a vergonha e o erro.

7 comentários:

Anónimo disse...

http://passeiodostristes.blogs.sapo.pt/

Karocha disse...

Post hermético, principalmente os versos do Caetano.

Cumprimentos
Manuela Diaz-Bérrio

Anónimo disse...

é engraçado como tu tratas os teus colegas de profissão granda ordinário e parvalhão e mal educado mas enfim é o país que temos.

Anónimo disse...

fico a pensar se tu aqui no blog se pretendes dar a continuação do jornal de sexta os temas são sempre os mesmos e já reparas te que a nivel de comentários não tens temas que despertem o interesse.

Anónimo disse...

Hello, as you can see this is my first post here.
Hope to receive some assistance from you if I will have some quesitons.
Thanks and good luck everyone! ;)

Anónimo disse...

I just found the website who reviews about
many
home based business

If you want to know more here it is
home business ideas
www.home-businessreviews.com

José Domingos disse...

Curiosamente, não me esqueço, do Jornalista Joaquim Vieira, da revista Grande Reportagem, que "acabou", quando,começaram artigos, sobre o livro de Rui Mateus, sobre o polvo dos "Contos Proibidos".
A história repete-se, deve ser genético.
Na altura das procissões, ao vinte cinco, lembro, que " há sempre alguém que resiste, há sempre alguém que diz não"..