quinta-feira, 6 de agosto de 2009

O PROCURADO


Tenho uma amiga que vende livros. Ela contou-me, há muito tempo, uma coisa curiosa. Que todas as semanas, quase sem excepção, lhe aparece um cliente à procura deste livro. Às vezes, dois ou três, como se estivessem combinados.

Mas este livro desapareceu, não está à venda. Numa sociedade de mercado parece estranho haver uma procura assim sem ser satisfeita. A minha amiga esforça-se por acalmar os clientes. O tempo passa. Nós vamos renovando a conversa quando nos encontramos. Ela descreve-me as perguntas sem resposta dos insatisfeitos da sua livraria e eu fico-me assim, sem comentários.

Outro amigo deixou-me entretanto fotocopiar um exemplar.

Hoje percebi que o livro pode ser integralmente descarregado da internet. Deixo aqui o link como quem devolve uma história roubada a todos os que durante anos passaram pela livraria e fizeram uma colecção de perguntas e às vezes interessantes comentários que colecciono num caderninho, sem saber bem para quê.


8 comentários:

Força Emergente disse...

Porque é preciso fazer alguma coisa, nós já aderimos.

Plataforma de Intervenção Cívica
Mais de 30 anos de sucessivos governos, "democraticamente" eleitos e "legalmente" assumidos, mas......o País não se desenvolveu e vê passarem-lhe á frente outros povos e outras sociedades bem menos estruturadas e desenvolvidas.
Assistimos entretanto, ao desenho e feitura de um modelo politico em circuito fechado, para o qual foram entrando quase todos aqueles que encheram a boca com democracia e liberdade, e que rapidamente se esqueceram dos princípios ideológicos que de forma tão veemente asseguravam ser o seu objectivo.
Até a Constituição apontava o caminho para o socialismo. Aquele ideal de igualdade, distribuição equitativa de riqueza, acesso ao ensino de qualidade, uma informação livre de tutelas e censuras, enfim uma sociedade mais justa e equitativa.
O país de hoje, não passa de um retoque a cores, de uma fotografia a preto e branco tirada há 35 anos.
Talvez até mais grave, pois nessa altura estávamos no fundo á espera de emergir e agora estamos submersos e não vemos como sair.
Aquilo que fizeram ao País foi uma autêntica desgraça que ainda não foi bem assimilada por grande parte da população. Há muita gente que ainda não percebeu, que vão ser eles a pagar as decisões folclóricas e irresponsáveis, que ao longo do tempo vêm sendo tomadas.
Perguntamos. será possível que não haja consciência disto ? Ninguém se apercebe ?
BOM POVO...... oi....está a ouvir? .... O Governo não faz dinheiro. Tira-o do nosso bolso. Quando já não temos, ele não se importa. Vai lá fora pedir e diz que depois iremos pagar. É assim.
Mas pergunta o Bom Povo. Não nos deviam consultar sobre as dívidas que nos vão criando?
É evidente que sim, se se tratasse de gente séria e que estivesse de facto a cumprir um serviço publico. Quando se trata de governantes, em que muitos deles mais não são que foragidos à justiça, apenas se preocupam em salvar a pele através do folclore que produzem. Nem que para isso façam politica suja à custa do povo que os elegeu.
Essa politica é aquela que anuncia o que não pode cumprir e faz contratos à custa das próximas gerações. Há um termo apropriado para esta gente. Ignóbeis.
Quando lá fora perceberem que se calhar já estamos a dever muito, não emprestam mais. Aí talvez comecemos a perceber que os carapaus já não chegam, a fruta é cada vez menos, os electrodomésticos ficam pela hora da morte etc. Um aborrecimento muito grande.
Mas o nosso bom povo pode dizer e com razão. Compramos cá dentro.
O que mais temos são barcos de pesca e campos agrícolas. Os nossos governantes nunca se descuidaram com as necessidades básicas de sobrevivência do País!! Os noss...........oi.....BOM POVO........
Se calhar, aquilo que produzimos nem sequer chega para 30% da população. Os nossos governantes descuidaram-se. Sabemos que é difícil de entender, mas nem sempre se podem lembrar de tudo. Até porque têm de tratar da vida deles. São os offshores, as lojas de marca - já agora a mais cara do mundo para esse grande 1º ministro de Portugal -, as empresas do regime, dos partidos, dos amigos, os Institutos, os Reguladores, as Fundações, os Acessores,......
é muita coisa para tão pouca gente.
O País é lá fora. É um mundo que eles mal conhecem e que pouco lhes interessa.
É contra este descalabro nacional que teremos de nos erguer.
Para isso foi constituída a
Plataforma de Intervenção Cívica, á qual nos associamos, assim como muitas outras Entidades de peso no nosso País.
Esta iniciativa, nascida dos contactos com personalidades de relevo na vida Nacional e Internacional, será a resposta necessária para recuperarmos a dignidade perdida e possibilitar o nascimento de um novo ciclo de vida politica, com gente séria e responsável.

Karocha disse...

http://infamias-karocha.blogspot.com/

Karocha disse...

Eu tenho, acho que comprei o ultimo, na Barata,já lá vão alguns anos.

Karocha disse...

http://infamias-karocha.blogspot.com/

Karocha disse...

Para a Dr. Manuela Moura Guedes a minha Solidariedade.

Cumprimentos
Manuela Diaz-Bérrio

dalmata disse...

O Povo que ama a Liberdade vai sair à rua. Amanhã, 20 h, à porta das instalações da TVI em Queluz de Baixo, vigília pela liberdade de imprensa. Passa a mensagem!

para mim disse...

E o que fazer com o livro? Lê-lo e... pensar...

http://ofimdademocracia.blogspot.com

mário disse...

eu tambem tenho o livro e melhor todos nos ler