segunda-feira, 7 de setembro de 2009

7 comentários:

Anónimo disse...

A música diz coisas que não conseguimos explicar por palavras...O óbvio Carlos é sempre aquilo que as pessoas custam a ver e a maioria das vezes morrem mesmo na ignorância.

Creio que por opção, dá menos trabalho, evita sofrimento e ginástica mental.

Flutuas acima desta nojeira toda, não precisava de te dizer isto, preciso apenas de te dizer que sei sempre quem tu és, és o óbvio!

E por seres o óbvio é que já te deixei aqui, uma vez, um poema que te ilustra bem, não vou repeti-lo mas começa assim "Porque os outros se calam mas tu não..."

Ana Rita Cavaco

josé carlos soares .˙. disse...

Meu Caro Carlos Enes apenas hoje fui confrontado com vários comentários, anónimos como convém aos que não têm coragem, que aqui te deixaram que mais não são que cópias de textos que eu escrevi e publiquei, devidamente assinados, no meu blog. Esclareço e reponho a verdade porque como bem sabes porque me conheces, não sou de me esconder como os cobardes num impessoal e desonroso "anónimo". Um abraço e beijos ao Petra.

xana disse...

Deixo aqui um sorriso =)

não é preciso mais que isso.

Bernardo N. disse...

Carlos, sou um recém-licenciado em Ciências da Comunicação e tenho como sonho vir a ser jornalista de investigação. E como tal, todo este assunto da TVI interessou-me imenso.
Mas quando comecei a ler este blog, devo dizer que os comentários impressionaram-me mt mais. E queria saber ou ouvir da tua parte, como é o ambiente vivido ao longo destes anos na redacção da TVI. Se os jornalistas eram assim tão mal tratados pela direcção. E o que sabes da história do Miguel Ganhão Pereira. O que me interessa não é a mesquinhez que ronda este caso, mas a verdade sobre uma história que envolve jornalistas, profissão que espero um dia vir a exercer.
Espero que consigas responder. Obrigado.

Anónimo disse...

Bernardo, tens coragem para não perderes a coragem para te indignares sempre que for preciso?

Se sim, serás jornalista. Se não, serás qualquer coisa estranha. Qualquer coisa parecida à maioria que aí anda. Essa maioria que acha que ser jornalista é ser estrela de TV. Esses que depois vão vomitar ódios e mentiras para os jornais sobre pessoas a quem não chegam aos calcanhares.

ASSINADO
Um jornalista que, tal como tu, um dia sonhou ser jornalista. Dizem que conseguiu!

para mim disse...

Bernardo, achas que podes investigar em Portugal? Olha só o que vais descobrir se o fizeres:

http://ofimdademocracia.blogspot.com

para mim disse...

Ah, e Bernardo, tens também de aprender desde cedo que não se deve cuspir no prato onde comemos, ou seja, não devemos morder a mão que nos alimenta. Conclusão: não atacar quem assina os cheques de ordenado ao fim do mês. Percebes?

http://paramimtantofaz.blogspot.com/2009/09/nao-digam-nada-ninguem-e-privado.html#links