sexta-feira, 2 de maio de 2008

ELES VÃO VOLTAR


Os cegos portugueses vão voltar a aparecer na televisão.

O último mês tem sido um fartote. Toda a gente fala em nome deles, toda a gente afinal tinha uma solução no bolso.

No nosso paradigma mediático tornou-se normal afastar os protagonistas reais das histórias.

Passei este tempo a falar com centenas de pessoas. Segunda-feira à noite elas contam o que há para contar.

P.S.: A Grande Reportagem "Em Terra de Cegos..." pode ser vista aqui.

9 comentários:

Anónimo disse...

No nosso paradigma tornou-se normal desrespeitar o sofrimento humano, só assim se compreende a bandalheira das listas de espera em Portugal.

Os cegos ou outros não deviam só contar o que lhes aconteceu, todos os que precisaram do SNS e não tiveram acesso atempado deviam processar o Estado (e ganhavam garantidamente). A nuance estava no pagamento das indemnizações.

Pagavam os responsáveis. Metade os médicos que não cumprem horários no público, têm uma média de cirurgias/ano miserável e cobram, no privado, aos que não operam no público sabendo que, muitas vezes, estes doentes mal têm dinheiro para viver!

Metade pagavam os políticos porque permitem que a bandalheira continue e não fiscalizam a produtividade destes abutres, alguns chegam a ter como média 2 cirurgias/ano.

Pedro Amado disse...

Muitos Parabéns Sr. Carlos. Belissima Reportagem.

Cumprimentos de mais um revoltado.
Pedro Amado

Al Kantara disse...

Parabéns. Finalmente um jornalista que faz as perguntas que gostaríamos de fazer, da forma exacta e rigorosa, sem os salameleques e eufemismos que muitos utilizam porque "nunca se sabe"...
Vi a reportagem na TVI e, se não for premiada, é porque há muitos mais cegos do que os que pensamos...

Anónimo disse...

Caro Carlos Enes

Gostava de dar-lhe os parabens pelo seu excelente trabalho em expôr os graves problemas do sector da saude em Portugal.

Louvo a sua coragem em afrontar os problemas e em colocar questões dificies e sem qualquer ambiguidade aos médicos e decisores politicos.

A sua sugestão de que as listas de espera existem e dificilmente serão eliminadas porque a sua propria existencia é garantia de trabalho nos consultorios privados, tem toda a relevância e penso que reflecte bem o que todos os utentes pensam.

Continue o seu excelente trabalho.

Anónimo disse...

caro carlos enes,parabens pelo fantástico desempenho e coragem,em abordar um polvo que se alimenta a ele mesmo.a pergunta parece demasiado obvia e altamente perturbadora,"a quem interessa que hajam listas de espera?quem beneficia com as listas de espera?" ora todos sabemos que o diagnóstico está feito á muito.paguem bem a quem trabalha,seja publico seja privado e exijam produtividade.tão simples que até parece irreal que ninguém o faça....se o poder politico é tão promiscuo quanto a coorporativista ordem dos médicos,isso é um verdadeiro cancro do qual nao nos livraremos.e assusta pensar nisso.e assusta pensar nisso.você meteu-se no meio dos lobos ao fazer esta reportagem e foi extraordinariamente feroz,tão feroz que eu só pude aplaudir,revoltado que estou com a miserável saude deste pais.

Anónimo disse...

Caro Carlos,
Obrigada a si e à TVI por esta reportagem que veio chamar a atenção para uma questão que, pelo menos para mim, era desconhecida.
No entanto, gostaria de fazer uma crítica. Não sou jornalista nem pretendo dizer-lhe como fazer o seu trabalho, mas na minha opinião de espectadora senti que faltou ouvir de facto o outro lado. Houve demasiadas interrupções e cortes nos discursos de médicos e responsáveis que visitou. Penso que faltou a imparcialidade necessária para que os espectadores tivessem dados suficientes para formar a sua opinião. Nem todos terão os meios necessários para explorar mais o assunto. De qualquer forma, parabéns pela coragem. Continuação de bom trabalho.
Cristina Ribeiro

Anónimo disse...

Vi agora um tal dr. Breda, presidente da sociedade científica dos oftalmologistas, armado em carroceiro. Mandou calar o do lado e disse "deixa-me esfolar eu o gajo" (sic). O gajo devia ser o CE. É pena que ele não tenha explicado porque é que os oftalmologitas esfolam os doentes todos, a pedirem 2000 euros ou mais por uma catarata. O dinheiro não dá educação!

João José Milhaz

Carago disse...

Meu caro Carlos Enes

Como médico e como cidadão tenho vergonha. Vergonha por ver colegas meus de profissão a comportarem-se desta maneira. Vergonha por ver pessoas idosas e fragilizadas, privadas do que é mais belo, de se moverem nas formas e nas cores, a serem utilizadas em nome do vil metal
Obrigado pela sua intervenção de cidadania e pela sua continuada( ainda me lembro dos tempos do Indy) denúncia.
Mas peço-lhe uma coisa e a bem da verdade e da justiça: tente separar o trigo do joio e salientar publicamente que há muitos e muitos médicos que diariamente dão o seu melhor pelos seus doentes

Portis disse...

Tenho pena de só agora ter "achado" este blog de qualquer das formas e se ainda for a tempo aconselhava-o a entrar em contacto com a APLO (Associação de Profissionais Licenciados de Optometria), para verificar as dificuldades que eles tem sentido em tentar resolver determinados problemas tais como as listas de esperas nas consultas de Oftalmologia e outras coisas mais.

Nuno Fernandes