quinta-feira, 8 de maio de 2008

O OFTALMOLOGISTA CIENTÍFICO



Este sr. dr. chama-se Jorge Breda e é presidente da Sociedade Portuguesa de Oftalmologia.

Hoje, numa conferência de imprensa, anunciou que me queria "esfolar".

Serve este postal:

1) para informar a minha família de que estou vivo e sem nenhum arranhão;

2) para agradecer aos médicos meus amigos que se ofereceram para me curar de feridas sofridas no decurso do meu trabalho sobre Oftalmologia (começam a ser muitos!);

3) para tranquilizar o meu cão, que viu este sr. dr. na televisão e ficou nervoso;

4) para lembrar ao sr. dr. Breda o Código Deontológico dos Médicos:

Artigo 12.º
(Dignidade)

Em todas as circunstâncias deve o Médico ter comportamento público e profissional adequado à dignidade da sua profissão.

10 comentários:

Anónimo disse...

1.O jornalista deve relatar os factos com rigor e exactidão e interpretá-los com honestidade. Os factos devem ser comprovados, ouvindo as partes com interesses atendíveis no caso. A distinção entre notícia e opinião deve ficar bem clara aos olhos do público.

2.O jornalista deve combater a censura e o sensacionalismo e considerar a acusação sem provas e o plágio como graves faltas profissionais."

O que o sr. diz é "Deixe-me ser eu a FALAR com este gajo". Ouve-se claramente, sem margens para dúvidas. Ora quem está em falta com o seucódigo deontológico parece ser o amigo Carlos.

Anónimo disse...

"O jornalista deve relatar os factos com rigor e exactidão ".

Foi o que ele fez. Ouvi mais de dez vezes aquilo que o carroceiro, ai perdão, o médico, disse e o sr. que faz o comentário pelos vistos ouviu aquilo que lhe convém.

Talvez também seja médico...

"...considerar a acusação sem provas e o plágio como graves faltas profissionais".

As provas estão lá, são bem audíveis, acho até que o autor deve estar, a esta hora, arrependido e envergonhado, não pelo que disse mas porque nunca pensou que ficasse gravado!

Falta profissional grave é a deste médico e de todos os outros que envergonham aqueles que ainda exercem medicina com Amor, e sim sr. dr., muitos ainda fazem pro bono, é que ser médico não é só uma profissão para ganhar dinheiro é uma forma de ser e de estar.

Não ficava nada mal ao médico que apareceu na televisão explicar porque é que em Portugal, no Privado, cobram o dobro do que cobram em Espanha. E se fizesse umas "borlas", ou seja, se trabalhasse algumas vezes de "graça" como ele próprio disse para o jornalista fazer, não ficava mais pobre por isso.

"...Ouve-se claramente, sem margens para dúvidas"

O Sr. está a precisar de consultar um colega seu de otorrino mas cuidado, parece que nesta especialidade a situação das listas de espera para consulta é semelhante à de oftalmologia.

Os Portugueses não se querem cegos nem surdos, se o sr. não é as duas coisas ou uma das duas, deixe-se de defender situações miseráveis que nos envergonham enquanto nação.

O código deontológico, dos médicos, e o de cada um de nós, serve para sermos melhores, como pessoas e profissionais, não serve de escudo para a grosseria, a ganância, a mentira e a desonestidade.

Carlos Enes disse...

Caro Anónimo que me trata por "amigo Carlos":

Julgava que os homens honrados, quando querem denunciar legitimamente os outros, nunca o faziam ao abrigo do anonimato.

Tinha de si uma ideia diferente.

Mas compreendo-o. A sua mentirola é tão grosseia que o Caro Anónimo não quer ser o bobo da corte.

Aquele Abraço.

CE

N disse...

Parabéns! Isso é estatuto, não é qualquer um que tem uma proposta dessas em directo. Deixe o homem tentar esfolá-lo, eu pego num banquinho e assisto. Prometo não tomar partido, mas faço apostas.

Rui Vasco Neto disse...

carlos,
Eu cá sempre ouvi dizer que o mais difícil era conseguir esfolar o rabo do gato. No entanto, ficas a saber que disponho de um largo stock de Betadine e ligaduras, pensos e pomadas, que tenho o maior prazer em te dispensar, caso necessidade. Ah!, e pimenta, para pôr na língua. Sabes como é, quem tem miúdos...
Toma lá abraço.

António Chaves Ferrão disse...

Caro Carlos
Cão que ladra não morde.
Sobre televisão, estou mais para os lados de Os Tribalistas:
Não tenho paciência p'ra televisão
Eu não sou adiência para solidão
Porém, ao descobrir este blog, talvez comece a dar umas espreitadelas.
Um abraço

a.leitão disse...

Por linhas travessas e arredondadas descobri o Blog de um dos profissionais de TV, e são muito poucos, que aprecio pela frontalidade e coragem.
Carlos, estou consigo
PS: "Comerciantes" há em todas as profissões mas estes abusam

Anónimo disse...

Até que enfim aparece mais um Jornalista! Já julgava que só existia o Mário Crespo.
NM

Luisa Novo disse...

Parabéns pelo óptimo trabalho que tens realizado e pela tua frontalidade.
Gostou de ler o post que falas da Irmã Bernadete. Grande professora. Deve-lhe muito daquilo que hoje sou. Tens notícias dela? A última vez que a vi (com o mesmo ar de velhinha de há 30 anos), estava a morar em Caminha.
Cumprimentos desta tua conterrânea

Luísa Novo

sofia disse...

Das coisas:"as coisas, quando se fazem, não se dizem, e que quem anda a proclamá-las é porque nunca as fez"
Ainda mais certo, é o que é bom haver quem veja e fale das coisas incertas e menos certas que nos rodeiam.
força Carlos, pela tua espécie de sacrilégio... ao escrevê-las, e sobretudo ao vê-las e partilhá-las - com o mesmo sentido de Justiça sempre.
Estou contigo.